Dieta Ravenna | Todos detalhas da Dieta Ravenna

A dieta ravenna já caiu no gosto de muitas personalidades e de acordo com sua proposta pode ser feita por qualquer pessoa que esteja acima do peso, incluindo gestantes, lactentes e crianças.

Se este é o seu caso, preste atenção neste artigo e conheça um pouco mais sobre a dieta ravenna, que garante sucesso no emagrecimento.

Como surgiu a dieta ravenna?

A dieta ravenna foi criada na Argentina pelo médico Máximo Ravenna.

Surgiu no Brasil em 2009 e hoje faz parte do atendimento de clínicas espalhadas em Salvador, Brasília e São Paulo.
Conheça como funciona a dieta ravenna

A dieta ravenna se diferencia de dietas “radicais” porque é um tratamento multidisciplinar.

Você emagrece com o acompanhamento de vários profissionais entre médicos, nutricionistas, psicólogos e educadores físicos.

Os especialistas entendem que um emagrecimento saudável envolve outros fatores que não só o de aprender a comer.
É necessário entender como você se relaciona com a comida, e o quanto está disposto a modificar seus hábitos para que a comida não seja o centro das atenções em sua vida.

A alimentação deve ser considerada um dos pilares para um estilo de vida saudável.

Para que este processo aconteça de verdade, o fator psicológico deve ser muito bem trabalhado durante todas as etapas do tratamento.

Ter o acompanhamento de vários profissionais irão te ajudar a se fortalecer para manter o peso depois do

emagrecimento e o melhor sem sofrimento!

Entendendo como a dieta funciona:

Esta dieta se baseia em um plano alimentar que varia de 800 a 1200 calorias, feito de maneira individualizada de acordo com suas necessidades.

É considerada uma dieta saudável porque incentiva o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e rico em fibras.

As fibras promovem a saciedade e te deixa mais tempo sem sentir fome.

Além disso, as fibras ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, o que favorece a perda de peso.

Além destes alimentos você deve:

  • Eliminar alimentos como o arroz branco, pão ou massas feitas com farinha branca porque estes aumentam a compulsão pela comida.
  • A dica de ordem é substituir estes alimentos por integrais;
  • Fazer 4 refeições ao dia entre café da manhã, almoço, lanche e jantar;
  • É ideal você iniciar as refeições principais como almoço e jantar com um caldo de legumes e comer uma fruta como sobremesa;
  • No almoço e jantar escolha alimentos fonte de proteínas como carne, frango, ovo ou peixes.
  • Não se esqueça de incluir saladas nas suas refeições, dê preferência por consumir a salada antes das refeições.
    Isso ajuda a dar mais saciedade fazendo com que você coma menos nas demais refeições do dia.
  • Inclua como fonte de carboidrato uma pequena porção de arroz integral.

Dica: Como um dos princípios deste método alimentar é a baixa quantidade de calorias procure uma nutricionista para indicar a você um suplemento adequado ao seu organismo. Desta forma evitará carências nutricionais.

Sugestão de cardápio:

Café da manhã:

  • Leite desnatado com cereais do tipo All Bran
  • 1 pera

Almoço:

  • Caldo de abóbora com couve flor
  • Salada de cenoura, ervilhas e rúcula.
  • Filé de frango grelhado
  • Arroz integral

Sobremesa: 1 ameixa

Lanche da tarde:

  • Torradas integrais com queijo branco
  • 1 maçã

Jantar:

  • Caldo de cenoura com brócolis.
  • Salada de macarrão integral com alface, repolho roxo e tomate com ovo cozido.

Sobremesa: 1 laranja

Dica: As frutas de baixo índice glicêmico tem o benefício de evitar os picos de glicose no sangue, mas atenção!

Não devem ser consumidas sozinhas, o ideal é misturar as frutas a outros tipos de alimentos como iogurtes, bolachas integrais, torradas ou frutas secas como nozes ou amêndoas.

Como você pode perceber, este método de dieta tem tudo para ser um sucesso na sua vida, desde que aliada a uma rotina de atividade física e com acompanhamento de nutricionista e se possível de outros profissionais conforme já mencionamos neste artigo.

Leave a Reply